A fábrica de baterias elétricas Volkswagen em construção no Ontário criará três mil empregos e representará um “investimento geracional” para o Canadá, afirmou o primeiro-ministro, Justin Trudeau.

O fabricante alemão de automóveis anunciou no mês passado os planos para a fábrica na cidade de St.Thomas, e Trudeau e outros ministros do governo canadiano apresentaram detalhes no dia 21 de abril, numa conferência de imprensa no museu ferroviário da cidade.

Os planos foram criticados esta semana por legisladores da oposição, na sequência de revelações de que o Canadá iria conceder 13 mil milhões de dólares canadianos (cerca de 8,74 mil milhões de euros) em subsídios ao construtor de automóveis ao longo de 10 anos.

Trudeau defendeu o investimento dizendo que este promete criar “boas perspetivas para os próximos anos em St. Thomas e grandes empregos de classe média em todo o Ontário e no resto do Canadá”.

A Volkswagen, o maior construtor automóvel do mundo, vai investir 7 mil milhões de dólares canadianos (cerca de 4,71 mil milhões de euros) na “magafábrica”, que será operada pela sua empresa, PowerCo Se.

A fábrica criará até três mil empregos diretos, 30 mil empregos indirectos e terá a capacidade de produzir baterias para até um milhão de veículos por ano, indicaram funcionários governamentais.

O governo canadiano vai fornecer à Volkswagen um investimento de capital inicial de 700 milhões dólares canadianos (cerca de 15,38 milhões de euros) e subsídios de produção para cada bateria que a empresa fizer e vender ao longo de uma década.

Estes subsídios não serão sob a forma de créditos fiscais, mas antes concebidos para corresponder ao que a Volkswagen poderia ter recebido se tivesse construído a nova fábrica nos Estados Unidos.

“Todos queriam isto, por isso sim, investimos muito dinheiro”, disse Trudeau, acrescentando: “Dinheiro que vai voltar em investimentos económicos muito rapidamente”.

O primeiro-ministro de Ontário, Doug Ford, salientou que a província vai investir 500 milhões de dólares canadianos (cerca de 336,14 milhões de euros) em incentivos diretos à empresa e gastar outras centenas de milhões para construir estradas, serviços públicos, esquadras de polícia e quartéis de bombeiros na área.

Um comunicado do governo federal disse que a fábrica irá gerar cerca de 200 mil milhões de dólares canadianos (cerca de 134,44 mil milhões de dólares) em valor.

Pierre Poilievre, líder do Partido Conservador do Canadá, criticou os subsídios contemplados no acordo, considerando-os uma cedência de recursos canadianos.

“Este dinheiro pertence aos canadianos”, disse Poilievre, que lidera a oposição oficial, que tweetou:”Não a uma empresa estrangeira. Não a Justin Trudeau”.

As instalações serão construídas num local com mais de 6.000 hectares, com início da construção previsto para 2024 e início da produção previsto para 2027.

Frank Blome, director executivo principal da PowerCo SE, notou que a fábrica junta-se a outras na Alemanha e Espanha.

“Tem o grande potencial para se tornar a nossa maior fábrica do mundo. Tenho a certeza que servirá de acelerador para empregos futuros, e isto irá desenvolver a economia actual”, enfatizou Blome.

Blome revelou ainda que a Volkswagen e as suas subsidiárias pretendem produzir mais de 25 novos veículos até 2030.

“A maioria deles será equipada com baterias feitas em St. Thomas. O Canadá era atraente para a Volkswagen porque o país tem os minerais e metais necessários para as baterias, além de uma abundância de energia limpa”, justificou.

Andy Hira, professor de ciências políticas na Universidade Simon Fraser em Vancouver, e diretor do Grupo de Investigação de Energia Limpa, considerou que à medida que os veículos a gás vão sendo gradualmente eliminados, é importante para países como o Canadá apostar em novos métodos de produção.

Hira afirmou contudo que embora “seja um passo positivo” investir em projetos como a fábrica de baterias, os governos não podem simplesmente passar um “cheque em branco” para captar investimento.

Esta será a segunda fábrica de baterias de veículos eléctricos em Ontário. No ano passado, o fabricante de automóveis Stellantis e a empresa sul-coreana LG Energy anunciaram que estavam a construir uma fábrica em Windsor, Ontário.

 

Foto:Volkswagen AG

Please follow and like us:
error22
fb-share-icon52
Tweet 26
fb-share-icon20